You are herePressão arterial no exercício e disfunção endotelial na hipertensão

Pressão arterial no exercício e disfunção endotelial na hipertensão


Indivíduos hipertensos com disfunção endotelial (Insuficiência endotelial vascular de óxido nítrico (NO)) vem apresentando diversas doenças vasculares. A hipótese desse artigo é que esses indivíduos poderiam ser identificados através da uma pressão arterial (PA) sistólica exagerada em resposta a um exercício submáximo.

Foram estudados 22 pacientes do sexo masculino com hipertensão essencial que estavam classificados em dois grupos pareados por idade, dependendo das respostas extremas de aumento da PA sistólica ao exercício (ExSBP) durante 3 minutos de um Dundee Step: onze Hiporresponsivos (ExSBP ≤ 20 mmHg e pico de ExSBP <200 mmHg) e onze Hiperresponsivos (ExSBP ≥ 40 mmHg e pico de ExSBP > 200 mmHg). Além disso, foi realizado pletismografia de oclusão venosa para avaliação da função endotelial e infusão arterial de quatro substâncias (Acetilcolina, Nitroprussiato de Sódio, Noradrenalina, L-NMMA). Para o grupo controle foram utilizados onze voluntários saudáveis pareados por idade. Toda a amostra em estudo foi avaliada quatorze dias após a suspensão do tratamento anti-hipertensivo.

Assim, com os resultados do estudo, o artigo conclui que com um simples teste de Step de 3 minutos de exercício demonstrou que pacientes hipertensos tratados com uma resposta da pressão arterial exagerada a um exercício submáximo, tinha significativamente pior função endotelial comparado aos indivíduos com resposta normal da pressão arterial ao exercício.

AnexoTamanho
Apresentação de: The International Journal of Clinical Practice_2009_Exercise blood pressure and endothelial dysfunction in hypertension.pdf2.45 MB